Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

" Quem tem telhado de vidro..."

"Não joga pedra no do vizinho" ... e paga pouca Energia Elétrica ! Sim, a Arquitetura tem uma importante missão em melhorar os design das construções. Isso se refere não somente às contruções residenciais mais finas, mais requintadas, que se utilizam de poços de luz, e domos de iluminação zenital. Mas, o eco-design deverá chegar às construções populares. Para isto, as milhares de garrafas não retornáveis que acabam nos lixões, poderiam ser utilizadas para se fabricar telhas de vidro. As telhas de vidro são plenamente possíveis de serem fabricadas com a imensa quantidade de vasilhames de vidro que chegam nos lixões, e que exigirão da natureza milhares de anos para serem biodegradados, o tempo de vida para a biodegradação do vidro largado na natureza é algo incalculável, pois a sua Entropia é muito elevada, e, a única forma de baixar este estado Entrópico elevado é dando-lhe uma nova utilidade, através da Reciclagem, no caso, a fabricação de telhas de vidro para coberturas de casas populares. É importante enfatizar que nos lixões existe os flamers onde milhões de metros cúbicos de gás metano são queimados diáriamente, com a única finalidade de aumentar o efeito estufa e que poderiam ser utilizados na fusão do vidro reciclado para novas aplicações de fundo social, tais como as telhas de vidro, ou mesmo, outras peças em projetos de cunho social . As embalagens de vidro, há algumas décadas atrás eram retornáveis, e com o barateamento das matérias primas e melhoria na eficiência dos processos, acabaram sendo descartáveis. Por outro lado, os catadores de lixo, desprezam o vidro devido o baixo valor pago na reciclagem. Uma vez que as empresas fabricantes de vidro não se apresentam com seus novos projetos ambientais, caberá ao governo tomar a frente destes empreendimentos e colocar maior valor agregado no vidro que não está sendo reciclado. Recentemente na revista americana Business Week, apresentou uma matéria de fundo, onde apresentou várias sugestões de aproveitamento da Energia Solar, e , uma das idéias mais simples, é deixar o Sol entrar nas moradias através de Eco-Design das residências visando o máximo aproveitamento da luz Solar. Quando ao vidro, existe uma imensa quantidade que está sendo desperdiçada, sem novos projetos de reutilização através da reciclagem. As aplicações do vidro são imensas, porém é necessário quantificar os standards de energia para a sua reciclagem. A descoberta do vidro é incerta. Antigas lendas contam que o vidro foi descoberto casualmente por navegadores fenícios há cerca de 4000 anos, ao acenderem fogueiras na praia. No solo estavam duas matérias-primas básicas, a areia e o calcário proveniente das conchas marinhas, que se transformaram em vidro pela ação do calor. Porém, bem antes dos fenícios no século 27 A.C. os egípcios já conheciam as técnicas rudimentares de produção do vidros. Objetos encontrados em escavações arqueológicas, comprovam que o vidro é fabricado pelo homem desde tempos remotos. Hoje, no início do século 21 , o vidro esta presente com todos os aspectos da vida moderna na forma de lâmpadas, vidraças, vidros de automóveis, óculos, microscópios, telescópios, cinescópios utensílios domésticos e outros incontáveis artigos. As matérias primas do vidro são as mesmas de 5000 anos atrás. O que mudou foi a tecnologia de produção e a necessidade de reciclagem dos materiais industrializados. Processos automatizados, plenamente informatizados, possibilitam obter produtos perfeitos e plenamente adequados ao uso que se destinam, e naturalmente empregando cada dia menos funcionários. Por outro lado, a reciclagem é uma forma de absorver a mão de obra que esta sendo dispensada nas fábricas. A reciclagem também gera empregos qualificados nas áreas de Pesquisa & Desenvolvimento de novos processos e novos materiais.Uma das formas mais comuns de uso do vidro são as embalagens, empregadas para acondicionar alimentos, bebidas, medicamentos, perfumes e outros produtos. A imensa diversidade de tamanhos, formas e cores, confere sua inigualável versatilidade. O vidro é o único material que mantém simultaneamente três importantes atributos que o diferenciam dos demais materiais de embalagens, principalmente no que diz respeito à preservação ambiental. "O Vidro é Retornável "Aproximadamente um terço das embalagens produzidas anualmente no Brasil é constituída de recipientes retornáveis, como garrafas de cerveja e refrigerantes. Estas embalagem são reaproveitadas em seu uso específico dezenas de vezes, são lavadas em altas temperaturas com detergentes para sua adequada assepsia. A retornabilidade do vidro para o mesmo fim - várias vezes - é o seu primeiro atributo que o diferenciam da maioria dos materiais de embalagem. Os ambientalistas reconhecem esta característica positiva dos produtos em embalagem retornável, dando preferência em relação aos que tem embalagens descartáveis que só aumentam a carga do lixo urbano, tais como as embalagens plásticas tipo PET, por exemplo. O Vidro é ReutilizávelAlém das embalagens retornáveis, outra parte dos recipientes de vidro é reutilizável de maneira diferente daquela para as quais foi fabricado. Essas embalagens são utilizadas para guardar alimentos, água ou pequenos objetos como botões, parafusos e outros. Como utensílio doméstico, quem não tem em casa copos de vidro originalmente usados para acondicionar requeijão, geléias, ou algum derivado de tomate? A possibilidade de reutilização, para fins diversos, é outro atributo que valoriza a embalagem de vidro e a qualifica como amiga da natureza e colabora para o sustento de famílias que vivem da fabricação de doces em calda e geléias no interior do Brasil, utilizando frascos de vidro para acondicionar seus doces artesanais. O Vidro é 100% ReciclávelAs embalagens de vidro usadas não devem ser caracterizadas como lixo, pois o conceito genérico de "lixo" tende a confundir as pessoas. O vidro constitui uma das mais nobres matérias-primas que se tem notícia. Num ciclo completo, os recipientes saem das vidrarias, vão para as indústrias de alimentos, bebidas, perfumes, remédios, seguem para a rede de distribuição, onde o consumidor os compra. Depois de usados são descartados. Quando isto é feito de forma consciente e organizada, em coletas seletivas, acabam voltando para as vidrarias, onde são reaproveitados: reduzidos a cacos, lavados e totalmente livres de impurezas, eles são adicionados à mistura de matérias primas e transformados em garrafas, potes e frascos inteiramente novos.É isso o que se chama reciclagem do vidro, ela se processa sem perda de volume nem das propriedades do material: um recipiente de vidro reciclado preserva suas qualidades , é inerte (não deixa sabor nos alimentos) e tão puro quanto um fabricado com matérias primas virgens. Ao contrário de outros materiais, as embalagens fabricadas com cacos de vidro não sofrem restrições de uso por parte dos organismos sanitários. Nelas podem ser acondicionados novamente alimentos, bebidas e medicamentos, num ciclo contínuo. Nesta abordagem da Economia Cíclica, pode-se afirmar que o vidro é 100% reciclável. A reciclagem total é o terceiro atributo que ajuda a entender porque a embalagem de vidro se harmoniza perfeitamente com a natureza, possibilitando novas possibilidades de geração de emprego e renda.

2 comentários:

urbanoideiluminado disse...

Muirto bom o seu blog, sr. Ernesto!

ERNESTO UBIRATAN MARCHIORI disse...

Obrigado , o meu Blog sobre
Ecologia Urbana é http://ernesto-ubiratan.blogspot.com/
pode colocar como um link no Urbanoideiluminado, se desejar.

Um abraço
Ernesto Ubiratan Marchiori